[Artigo] A presença da mulher na literatura | #BEDA9

09:00

A literatura é concebida como um espaço que dá voz à todos, mas quem estamos escolhendo ouvir?


Não é difícil encontrar, enquanto debruça-se no estudo da teoria literária, uma questão que vai além da estruturação ou surgimento do estudo literário. Emergindo como uma pauta, a presença da mulher na literatura não tem um percurso fácil ou sequer poético. Quando não nos deparamos com a escassa presença tanto de produção como de análise, surge a sucateação da profissão pela grande atuação feminina nela.

No livro A Teoria Literária de Terry Eagleton, o autor traz um panorama aprofundado sobre o surgimento do estudo literário. Na Inglaterra, quando o espaço acadêmico começou a ter presença da mulher e principalmente, nas aulas de literatura, a matéria passou a ser considerada de menor valor entre a sociedade acadêmica, composta e regida majoritariamente por homens. Apenas após as seguidas reivindicações masculinas sobre a área do conhecimento, é que ela foi ganhando destaque e consolidação.

Não é preciso ir muito longe para constatar tal fato, buscando em uma lista genérica ou bastante básica, os nomes ali serão basicamente de homens. Claro, que atualmente tais estruturas que antes serviam para inibir qualquer atuação da mulher, se mostram falhas e o papel de fragilidade e incapacidade dado a mulher diversas vezes tornou-se pequeno e ilusório, diante das demandas que a cada dia surgem.

Mais do que explicitar uma situação que vem de anos, séculos atrás, o intuito é trazer um convite à reflexão. Como podemos tornar o meio literário um espaço a frente do seu tempo, mostrando a igualdade de gênero e pluralidade de culturas existentes?

Em minha trajetória com a literatura constatei o que qualquer leitor, um pouco mais assíduo, constata depois de um período. A literatura é muito mais do que uma forma de entretenimento, sua valorização no meio social, com frases do tipo “quem lê é mais inteligente”, mostram o status que a leitura carrega.

É claro, que cognitivamente, uma pessoa que lê tem algumas das suas habilidades intelectuais desenvolvidas, mas não pelo simples fato de ler. É com as histórias fictícias, que ainda assim representam uma realidade universal, que somos convidamos a explorar espaços e culturas, que jamais imaginaríamos. O clichê “ler é viajar sem sair do lugar” cabe muito bem aqui.

Se vemos a literatura como um espaço democrático, que propicia a escuta atenta de todas as vozes, nada mais justo que abrimos nosso tempo e atenção para ler não só autoras, mas tudo que sai da nossa zona de conforto. E se a reflexão valeu, o convite está dado leia mais e leia de tudo e de todas.

Esta publicação faz parte do BEDA, acompanhe diariamente as postagens pela TAG.


You Might Also Like

10 comentários

  1. Infelizmente os reflexos patriarcais/machistas acabam influenciando até mesmo na literatura quando a questão é a diferença da quantia de autores por conta do gênero. :/
    "Se vemos a literatura como um espaço democrático, que propicia a escuta atenta de todas as vozes, nada mais justo que abrimos nosso tempo e atenção para ler não só autoras, mas tudo que sai da nossa zona de conforto." achei esse trecho sensacional! :)

    Pietra
    eutemostro.com

    ResponderExcluir
  2. Convite a reflexão aceito... A questão de escritoras mulheres, publicadas, serem em menor quantidade é realmente um desafio.. ate na atualidade mesmo vemos mulheres que tentam colocar o nome no livro de forma a nao demonstrar ser mulher ate mesmo na expectativa de conseguir vender mais exemplares.(Como J.K.Rowling fez). Acho tambem que a leitura abre a nossa mente né, para muitos assuntos, contextos e formas de pensar diferentes o que ate ajuda e formar melhor uma opinião. Gostei muito do tema que voce escolheu para o post.. Vc escreve muito bem! Bjo Thata

    ResponderExcluir
  3. olá, tudo bem?
    pois é, a literatura é um reflexo da sociedade, assim, acaba valorizando mais os padrões que acha 'dominantes' mas cabe a nós, mulheres, ajudar a mudar um pouco esse quadro :)
    bjs
    emfluencianoingles.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente o machismo se estende até mesmo na literatura, principalmente quando você entra em uma livraria e tem lá 'LITERATURA FEMININA' e quando você vai olhar, só tem romances. Nada contra os romances, eu os amo e tenho muitos, mas amo quadrinhos, livros de aventura, de terror. Além disso, leitura é para todos, não tem gênero para isso. Mas as pessoas não entendem isso.

    ResponderExcluir
  5. Oi oi, como vai?
    De fato, precisamos nos apoiar e em qualquer área da vida. O machismo é algo presente e na minha opinião, sempre será atual. Infelizmente. Adorei sua abordagem, muito reflexiva.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Já começo com "composta e regida majoritariamente por homens" que nem sempre eram autores, somente aristocratas que tinham poder. Adorei a sua abordagem, em breve irei falar sobre isso, no especial do mês de maio no meu blog e digo que esses dias, ouvi a frase de um conhecido: quando tu publicar teus livros, se forem eroticos, usa um pseudonimo, porque assim tu não vai ficar mal falada. ORA ESSSAAAAA! mas uma coisa temos que concordar: tá difícil ver o posicionamento feminino/feminista na literatura, mesmo de histórias vinda de mulheres. =/

    ResponderExcluir
  7. Ótimo texto, muito interessante. Eu gosto muito de ler e preciso ler mais, ler coisas novas, variadas, coisas que ainda não li antes... Bjao

    ResponderExcluir
  8. Machismo até na literatura?
    Mesmo assim gostei muito do texto, interessante de se ler.

    ResponderExcluir
  9. Machismo até na literatura?
    Mesmo assim gostei muito do texto, interessante de se ler.

    ResponderExcluir
  10. Adorei o texto! É assunto antigo mas que não pode parar de ser discutido!

    Eu leio de tudo, e sem nenhum pingo de vergonha. A maioria autoras que escrevem maravilhosamente bem.

    A literatura é pra todos, é porque seria diferente para nós mulheres se encaixarmos no meio dela? Haha

    Beijão,
    www.cretinaliteraria.com

    ResponderExcluir

O que achou? Deixe seu comentário! :)
Obrigado por nos visitar

Refração Cultural no Facebook

Refração Cultural no Twitter

Subscribe